HOME | ATUALIDADES | DICAS | NOTÍCIAS DE VESTIBULARES | ENTREVISTAS | FALE CONOSCO
Assista os vídeos da Oficina do Estudante Siga a Oficina do Estudante no Twitter Curta a Oficina do Estudante no Facebook Assine os feeds do cursinho campinas
 
IBGE: 1% mais ricos ganham 36 vezes mais do que metade mais pobre

O melhor cursinho pré-vestibular de Campinas traz para conhecimento de todos os leitores que irão prestar os melhores vestibulares do país.

Veja

Apesar da evolução ao longo das últimas décadas, o Brasil ainda apresenta um quadro de desigualdade extrema. Em 2016, 1% da população de trabalhadores brasileiros com maior poder aquisitivo ganhava 36,3 vezes mais do que os 50% que ganham os menores salários. Os dados, da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), foram divulgados nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na fatia dos 1% mais abonados, formada por apenas 889.000 pessoas, a renda do trabalho média mensal era de 27.085 reais. O rendimento médio dos 50% que recebiam os piores salários ficou em apenas 747 reais, abaixo do salário mínimo. Se considerados os 5% brasileiros com menores salários, a renda média era de míseros 73 reais mensais. Segundo o IBGE, 4,445 milhões de trabalhadores estão nessa condição.

“O Brasil é um dos países onde a desigualdade é das maiores do mundo, é uma das grandes mazelas. País nenhum vai crescer com base numa plataforma tão desigual”, declarou Cimar Azeredo, coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE.

Renda per capita

Quando considerados os dados de renda per capita de todas as fontes, e não apenas o rendimento do trabalho – nesse cálculo, a renda disponível é dividida por todos os moradores do domicílio, incluindo os que não trabalham -, a situação é ainda mais grave. A renda média mensal per capita dos 5% brasileiros com menor poder aquisitivo era de apenas 47,00 reais em 2016. A pobreza era ainda mais aguda no Norte e Nordeste, com 38,00 reais e 33,00 reais, respectivamente.

O rendimento médio real domiciliar per capita foi de 1.242 reais, contra uma renda média de 2.149 reais se considerados apenas os trabalhadores. As regiões Norte e Nordeste apresentaram o menor valor: 772 reais, em ambas as regiões. A Região Sudeste teve o maior rendimento médio, 1.537 reais.

Índice de Gini

Com isso, o Índice de Gini do rendimento médio mensal real domiciliar per capita foi estimado em 0,549 em 2016, pior do que o Gini com base no rendimento do trabalho, de 0,525. O indicador mede a desigualdade de renda – numa escala de 0 a 1, quanto maior o indicador, pior é a distribuição dos rendimentos. No Nordeste, o Gini da renda domiciliar per capita foi de 0,555. No Sul, ficou em 0,473.

“Quanto mais desigual a região, mais alto é o Índice de Gini. Então a região mais desigual é o Nordeste, sem dúvida, como já vinha sendo mostrado pela Pnad”, lembrou Azeredo.

Perfil

Do total de 205 milhões de habitantes do Brasil em 2016, 124,4 milhões tinham algum tipo de rendimento, sendo que 87,1 milhões eram remunerados pelo trabalho que exerciam e 49,3 milhões recebiam renda obtida através de alguma outra fonte, fosse aposentadoria e pensão; aluguel e arrendamento; pensão alimentícia, doação e mesada de não morador; ou outros rendimentos, categoria que inclui seguro-desemprego, programas de transferência de renda do governo, rendimentos de poupança, entre outros.

Em 2016, 13,9% da população recebia aposentadoria ou pensão; 2,4%, pensão alimentícia, doação ou mesada de não morador; 1,8%, aluguel e arrendamento; enquanto 7,7% recebiam outros rendimentos.

O rendimento proveniente de aposentadoria ou pensão foi o mais elevado, em média (1.670 reais), padrão observado em todas as regiões, sendo mais elevado no Centro-Oeste (2.064 reais) e mais baixo no Norte (1.334 reais). Os rendimentos provenientes de aluguel e arrendamento tinham valor médio de 1.521 reais; pensão alimentícia, doação e mesada de não morador, 516 reais; e outros rendimentos, 499 reais.

A massa de rendimento médio mensal real domiciliar per capita alcançou 255,1 bilhões de reais em 2016, mas os 10% mais bem remunerados detinham 43,4% desse bolo, fatia maior do que os 80% da população com os menores rendimentos (40,8%). Ou seja, apenas 12,4 milhões de pessoas ganhavam mais do que 99,2 milhões de brasileiros juntos.
Veja também

• Vestibular Unesp – 2ª fase: correção online e comentários pós-prova

A Oficina do Estudante realizará nos dias 17 e 18 de dezembro (domingo e segunda-feira) a correção online, em tempo real, da prova da segunda fase do Vestibular...

• MPF afirma que vai devolver mais R$ 650 milhões à Petrobras

Ministério Público Federal (MPF) vai fazer mais uma devolução de cerca de R$ 650 milhões à Petrobras. A informação foi confirmada ao G1 pela procuradoria na manhã desta...

• Definição da Base Nacional Curricular entra na reta final nesta segunda

Começa nesta segunda-feira (4) o último debate para a definição do texto da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), o documento que vai definir que conteúdos, competências e habilidades...

• Oficinão Unicamp 2018 lota Teatro Iguatemi

A Oficina do Estudante promoveu o Oficinão Unicamp neste sábado (18), véspera da primeira fase do do Vestibular Unicamp 2018. Cerca de 500 estudantes participam de uma revisão...

• Oficinão Fuvest 2017: revisão final

O Vestibular Fuvest 2018 ocorre no próximo domingo (26). Na véspera da prova, que é a porta de entrada para a Universidade de São Paulo (USP), a Oficina...

• Vestibular Fuvest 2018: correção online em tempo real

A Oficina do Estudante realizará neste domingo (26) a correção online, em tempo real, da prova de primeira fase do Vestibular Fuvest 2018. O resultado da maratona de...

• Esfihada Unicamp 2018

Às vésperas do Vestibular Unicamp 2018, os alunos de 3º ano do Ensino Médio e Curso Pré-Vestibular da Oficina do Estudante participaram da Esfilhada Unicamp. Em clima...

• Esfihada Unicamp 2018

Acontece na próxima sexta-feira (18/11), durante o intervalo, a tradicional ‘Esfihada’ Unicamp. Serão servidas esfihas para os alunos presentes, que ainda terão a oportunidade de contar com a...

• Temer reúne equipe para definir nova versão do pacote da Previdência

G1
Por Valdo Cruz

Depois de admitir que o governo não tem, hoje, votos suficientes para aprovar a reforma da Previdência e que, "sozinho", não teria como...

• Correção em Tempo Real Vestibular Unesp 2018

A primeira fase do Vestibular Unesp 2018 ocorrerá no dia 15 de novembro (quarta-feira), no feriado da Proclamação da República.

A Oficina do Estudante fará a...

‹ « [1] 2 3 4 5 »
 
Bolsa de Estudos - Pre Vestibular - Cursinho Campinas - OFICINA DO ESTUDANTE
 
Blog do Bixo - OFICINA DO ESTUDANTE
Fuvest: divulgada as notas de corte da 1ª fase
A Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest), de São Paulo, publicou em seu site nesta sexta-feira,...
Unicamp divulga aprovados na 1ª fase do Vestibular
A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) está divulgou nesta quinta-feira (7) a lista...
Ler em voz alta ajuda a fixar coisas na memória
Por Ana Prado Guia do Estudante Quando temos muita coisa para estudar, nosso sonho é conseguir memorizar os...
Veja os vestibulares do próximo fim de semana
Região Sudeste Uerj A Universidade do Estado do Rio de Janeiro aplica as provas da segunda fase do...
Unesp divulga aprovados para 2ª fase do vestibular
Universidade Estadual Paulista (Unesp) divulgou nesta sexta-feira (1º) o resultado da primeira fase do vestibular 2018....
by Oficina do Estudante
 

Cursinho Campinas - Pré-Vestibular
Av. Brasil, 601 - Campinas/SP
F.: 19-3241.6688

Assista os vídeos da Oficina do Estudante Siga a Oficina do Estudante no Twitter Curta a Oficina do Estudante no Facebook Assine os feeds do cursinho campinas Pré-Vestibular e Ensino Médio Oficina do Estudante